Victor Tavares
Home
Vídeos
Vídeos-Curso
Taquigrafar/ler
Perguntas I
Perguntas II
Perguntas III
História
Didática I
Didática II
Variedades I
Variedades II
Variedades III
Variedades IV
Variedades V
Variedades VI
Língua Port.
Método Maron
Curso Online
Fotos I
Fotos II
Fotos III
Censos
Biblioteca
Currículo
Links
Cartas recebidas
Depoimentos I
Depoimentos II
Depoimentos III
Depoimentos IV
Músicas/taquig.
Rezar em taquigraf.
Digitação
Cópias
Sala de Leitura
Taquigramas
Receitas
Ditados jurídicos
Jornal Taquigráf.


COLEÇÃO FERREIRA LIMA
BIBLIOTECA DE TAQUIGRAFIA, ESTENOTIPIA E DATILOGRAFIA

FERREIRA LIMA COLLECTION
A Library of Stenography, Stenotype and Typewriting

     

Uma das duas estantes que abrigam a Coleção Ferreira Lima,
no Departamento de Taquigrafia da Assembléia Legislativa
do Estado do Rio de Janeiro.

One of the two bookshelves that keep the Ferreira Lima Collection, at the Hansard Department of the Legislative Assembly of Rio de Janeiro. A valuable Treasure, the collection comprises specialized stenographic books in different languages, as well as books of Stenotype and Typewriting, books of system theories and methods of Stenography, books of the History of Shorthand from different authors, articles, reports, manuals, manuscripts, first editions of several systems , rare books such as the original edition of Taylor's system, published in 1786.


 

COLEÇÃO FERREIRA LIMA

A Coleção Ferreira Lima é uma coleção de livros especializados em Taquigrafia, Estenotipia e Datilografia. Esse importante acervo foi doado à Assembléia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro em outubro de 1994, por Dona Lygia Ferreira Lima Patiño Ayroa, então Diretora da Escola Remington, filha do organizador da referida coleção, o ilustre Prof. Adhemar Bezerra Ferreira Lima. Foi intermediário da doação o então taquígrafo-revisor da ALERJ e atual professor de Taquigrafia, Waldir Cury.
Acondicionado em duas grandes estantes, o acervo compreende cerca de 30.000 itens (livros, revistas, periódicos, panfletos, manuscritos, atas de congressos de taquigrafia) e é considerado o maior acervo do mundo no assunto, já acumulada por um particular.
A biblioteca foi organizada num trabalho paciente de mais de 40 anos e começou com 200 obras que pertenciam ao pai do insigne Prof. Adhemar, o não menos preclaro Prof. Frederico Ferreira Lima, fundador da Escola Remington (fundada em 15 de março de 1911). Da importância do Prof. Frederico Ferreira Lima e da escola por ele fundada, basta apenas salientar que, em 1912, preparou a primeira turma de datilógrafos do Senado Federal e realizou, em nossa pátria, os primeiros concursos públicos de Datilografia e de Taquigrafia; outrossim, ensinou, pela primeira vez no Brasil, Datilografia aos cegos, com pleno êxito, em 1929.
A Coleção Ferreira Lima é uma raridade. Comparadas a ela, só as seções de Taquigrafia das bibliotecas nacionais da Grã-Bretanha e dos Estados Unidos, destacando-se a "New York Public Library" (15.000 livros), e mais ainda a "Stenographisches Landesamt in Dresden" (40.000 livros) na Alemanha, detentora da maior coleção de obras de Taquigrafia (embora alguns itens, nesta última, tenham sido destruídos por ataques aéreos em 1945).
Menção especial também deve ser feita à "Library of the University of London", que, em 1960, recebeu, como doação, a coleção privada (15.000 volumes) de Mr. William J. Carlton.

A Coleção Ferreira Lima distingue-se pela sua universalidade. Embora predominem obras em português, há uma enorme gama de livros em outros idiomas (inglês, francês, alemão, castelhano, italiano, russo, búlgaro, japonês, polonês, húngaro, holandês, hebraico, etc...).
Incluído está um número expressivo de obras raras do séc. 19 e algumas do séc. 18 (algumas autografadas pelo autor). Digno de citação é o livro "Steganographia", de Johannis Trithemius (o Tritêmio), escrito em latim, edição de 1721 - obra raríssima.

Pouca coisa escapou à rede de colecionador do culto Prof. Adhemar Ferreira Lima. É farto o material no que tange a métodos de Taquigrafia e à parte histórica.
No que se refere aos sistemas e métodos de Taquigrafia, inventados em diversas épocas e em diferentes partes do mundo, o acervo é realmente extraordinário. Todas as modalidades de sistemas de Taquigrafia são encontradas: a fonética, a ortográfica, a geométrica, a cursiva, a semicursiva e a mista. Entre muitas obras, destacam-se: a de Samuel Taylor (o Pai da Taquigrafia Moderna), a de Isaac Pitman, a de John Robert Gregg. dos métodos franceses, são destaques os de Aimé Paris, Émile Duployé, Prévost e Dalaunay, além do de Conen de Prépéan; da Espanha, sobressai o de D. Francisco de Paula Martí; e da Alemanha, os revolucionários sistemas cursivos de Frans Xaver Gabelsberger e de August Heinrich Wilhelm Stolze.

A parte histórica, bastante rica, inclui trabalhos em várias línguas sobre a Taquigrafia na antiga Grécia e as famosas NOTAS TIRONIANAS dos antigos romanos, primeiro sistema organizado de taquigrafia, que foi usado de 63 a.C. até fins do séc. 11. De igual forma, sobressai a completíssima obra de Albert Navarre sobre a história da Taquigrafia, "Histoire Générale de la Sténographie" (1909); e o não menos rematado trabalho do inglês Thomas Anderson, "History of Shorthand" (1882).

A COLEÇÃO FERREIRA LIMA é um verdadeiro tesouro, não só para a pesquisa, mas também para a memória do saber humano. E é maximamente importante a Coleção Ferreira Lima na medida em que a Taquigrafia é um ramo avançado na História da Escrita do Homem.

 


Frederico Ferreira Lima

Adhemar Ferreira Lima

 

Frases do Prof. Adhemar Ferreira Lima
Extraídas de artigos publicados sob o título "POEIRA DE LIVROS", na revista "Últimas Notícias Esteno-Dactilográficas".

    "Por intermédio dos meus amigos da Livraria Kosmos Editora, adquiri, em Londres, uma coleção de obras antigas de Taquigrafia."

    Algumas dessas obras foram impressas há quase 200 anos; ao perpassar as suas páginas, ainda conservadas e nítidas, como o são as dos velhos livros, onde encontro ora o autógrafo de um autor, ora uma dedicatória, ora simples anotações ou marcas, não posso ocultar a emoção, por sentir, em cada página volvida, um eflúvio daqueles que, antes de mim, respiraram o seu aroma e fruíram os seus ensinamentos."

    "É com respeito e emoção que folheio aquele velho livro "velho"...Velho pela idade e velho no aspecto. Um amigo, admirando-o, perguntou-me por que não mandava encadernar aquela preciosidade.
    Porque seria profanação, respondi-lhe, entregar à sanha de um encadernador, com as guilhotinas afiadas, aquelas folhas de pergaminho, desajustadas, incertas, sujas, amarrotadas, mas que têm um sabor adorável, que rescendem à personalidade daquele gigante batalhador da taquigrafia, que sobre elas se debruçou cheio de amor e dedicação para, em cada exemplar de uma edição inteira, escrever páginas e páginas, em sinaizinhos uniformes, bem alinhados, firmes, nitidamente traçados, emprestando-lhes uma alma que será compreendida por todos aqueles que amam os livros, o ensino e a Taquigrafia."

    "Eu gosto tanto de livros, que até o cheiro característico da poeira invisível das velhas bibliotecas tem, para mim, um encanto especial."

    "Sou, de certo modo, um bibliômano, pois tenho a mania de livros. Gosto de tê-los enfileirados nas estantes, em grupos de assuntos semelhantes, arrumados por tamanhos, bem limpos, bem tratados."

    "Gosto de parar diante das vitrines das livrarias para olhar as novidades, mesmo quando se trata de assuntos que não me interessam e de obras que jamais comprarei. Gosto de desfilar, lentamente, ao longo das prateleiras dos livreiros, ou de remexer nas pilhas mal arrumadas dos "sebos" das ruas de S. José, da Constituição e Regente Feijó."

    "Sinto um prazer muito grande em olhar os livros, nas suas cores variadas, algumas vivas, enfeitados com dourações caprichosas; gosto de pegá-los, de alisá-los, de acariciá-los; agrada-me abri-los, cortando, com uma espátula, as folhas ainda fechadas, assim como arrumá-los, mudá-los de posição, examiná-los, descobrir-lhes particularidades."

 






Parte da biblioteca
onde se encontram os livros raros,
como o original do Sistema Taylor, lançado em 1786.


Section of the Ferreira Lima Collection, where rare books such as the original edition of Taylor's system, published in 1786, can be found.

 




Parte da biblioteca
onde se encontram livros
sobre a História da Taquigrafia,
em vários idiomas.

Section of the Ferreira Lima Collection, where books of the History of Shorthand from different authors in different languages can be found.



Livros do método Gregg doados, em 28 de novembro de 2013,
à Coleção Ferreira Lima, por Norma Vigio.

RELAÇÃO DOS LIVROS DOADOS.



Norma Vigio

 

 

TOPO

PÁGINA INICIAL